peace

Celebrated on August 19th, the World Humanitarian Day was a date to be remembered in 2016. Following the launch of a strong digital campaign called “Would you rather” whereby internet users had to figure themselves in the skin of refugees, the UN has also organized a concert to raise awareness of humanitarian assistance worldwide.

Jan Eliasson participates of wreath-laying ceremony to mark anniversary of UN Headquarters bombing in Baghdad
Jan Eliasson participates of wreath-laying ceremony to mark anniversary of UN Headquarters bombing in Baghdad

During the event, the UN Deputy Secretary-General, Jan Eliasson, called for increased global leadership to address humanitarian crises. “Today, the scale of human suffering is greater than any time since the United Nations was founded. A record 130 million people are now dependent on the United Nations and our many partners for protection and survival because of conflict, disaster or acute vulnerability. On World Humanitarian Day, let us all recommit to humanity and ask what we can each do to make a difference,” he said.

The World Humanitarian Day reminisces the August 19th 2003 bombing of the United Nations in Baghdad. Since 2008, the date celebrates the volunteers and professionals all around the world who risk their lives to build a better tomorrow. The UN efforts answer an increased demand for humanitarian actions – in 2016 only, 130 million women, men and children in 40 countries are in need of urgent assistance and protection: the highest number since the end of World War II.

“In crises around the world, from Syria to South Sudan, people are forced to make impossible choices – risking violence for food or risking drowning in search of a safe haven – choices that most of us can barely imagine,” warned UN Under-Secretary-General for Humanitarian Affairs and Emergency Relief Coordinator, Stephen O’Brien. “We call on all global citizens to show solidarity, use their voice and demand that world leaders take action.”

In the New York United Nations headquarters, a commemorative event was organized with the attendance of the renowned Nigerian author Chimamanda Ngozi Adichie, “Game of Thrones” actress Natalie Dormer, “Arab Idol” winner Mohammed Assaf, Tony Award winner and former “Hamilton” star Leslie Odom Jr., “Quantico” actress Yasmine Al Massri and Season 10 “The Voice” winner Alisan Porter.

Lebanese actress Yasmine Al Massri introduces Hala Kamil, subject of the the documentary 'Children of Syria,' at the One Humanity event
Lebanese actress Yasmine Al Massri introduces Hala Kamil, subject of the the documentary ‘Children of Syria,’ at the One Humanity event

Syrian refugee Hala Kamil, who fled Aleppo with her four children to find safety in Germany, also shared her story, which became the subject of the film “Watani, My Homeland”, and called on world leaders to uphold their responsibilities to help the people who are forced to flee their homes. The call to action follows the World Humanitarian Summit, which took place in May in Istanbul, where the United Nations Secretary-General Ban Ki-moon summoned global leaders to support Agenda for Humanity. The five-point plan highlights the changes we, as a society, need to promote to alleviate suffering, reduce risk and lessen vulnerability on a global scale. Governments, humanitarian organizations and the private sector heve committed to take actions to achieve the Agenda, although a funding shortage threatens humanitarian operations – the United Nations and its partners have received less than a third of the US$21.6 billion required to meet the most urgent needs in 2016.

In a night to remember, the UN, along with artists, personalities and refugees made the call – is the world ready to listen? Find more at www.worldhumanitarianday.org

Voluntários reunidos para a realização do Fórum Mundial da Paz
Voluntários reunidos para a realização do Fórum Mundial da Paz

O Fórum Mundial da Paz, evento sem fins lucrativos que tem como objetivo partilhar conhecimentos, iniciativas e ações voltadas à promoção da paz, será realizado pela primeira vez na América. Após ser sediado em centros mundiais como Schengen, em Luxemburgo, Cairo, no Egito e Pearl, na Alemanha, a cidade brasileira de Florianópolis foi a escolhida para receber os mais de 2 mil participantes da edição de 2016.

Essa é a décima edição do evento, que será realizado entre os dias 22 e 25 de setembro no Centro de Eventos Governador Luiz Henrique da Silveira. O tema We Believe – Nós Acreditamos permeará todas as atividades, que contemplarão um dia dedicado à Ecologia (We Believe in Changes, em 23 de setembro), à Humanidade (We Believe in Rights, em 24 de setembro) e no Dia da Educação para a Paz (We Believe in Peace, em 25 de setembro).

“A opção pelo Brasil faz parte de uma estratégia internacional de realizar o fórum nas Américas, porque o conceito da educação para a paz deve ser construído em toda parte e a ideia precisava de um local mais permeável a essa nova cultura”, relata a filósofa Dulce Magalhães, presidente do X Fórum Mundial da Paz. O evento brasileiro é uma parceria entre a Schengen Peace Foundation, realizadora mundial do Fórum da Paz, e à Unipaz, organizadora local do evento, para concentrar diversas ações e mobilizações internacionais a partir do Brasil.

De acordo com a organização, estão confirmadas delegações dos Estados Unidos, Serra Leoa, Jordânia, Espanha, Itália, Romênia, Líbia, Egito, Marrocos, Portugal, Congo, Palestina, Equador e México, formadas principalmente por jovens. No total, o encontro global deve ter representantes de 60 países. “É o momento para conhecer e reconhecer quem mais está buscando um estado pacífico no mundo. É um fórum para partilhar saberes, trocar soluções e experiências. Mais que isso, é uma importante concentração de pessoas unidas para revitalizar o desejo de paz e reacender os interesses e as ações em prol desse objetivo em comum”, detalha a presidente do Fórum.

O Fórum Mundial da Paz precisa de voluntários para atuar no evento – comunicadores, tradutores, recepcionistas e profissionais de segurança, cerimonial e apoio médico. Por princípio, o Fórum não aceita patrocínios ou apoios empresariais.

Múltiplos encontros

O Fórum Mundial da Paz será constituído de três eventos. Além do Fórum propriamente dito, haverá o Festival Mundial da Paz, uma atividade global que reunirá manifestações pela paz feitas por crianças e jovens de 118 países no Dia Internacional da Paz, 21 de setembro, das 11h às 12h. Essas atividades serão transmitidas pela Unity, a rede difusora de comunicação virtual das Nações Unidas.

Haverá um espaço para os jovens no local do evento. O Youth World Peace Forum terá encontros e atividades voltadas a esse público nos dias 23 e 24 de setembro. No dia 23, a programação também contempla uma conexão simultânea de duas horas feita com centenas de jovens dos cinco continentes. Na abertura e no encerramento do Fórum, 22 e 25 de setembro, as atividades serão conjuntas.

A conferência de encerramento será realizada pela ONU. A participação irá culminar com a entrega da Proposta 1% para a Paz, elaborada pela Rede Paz de Buenos Aires. “A ideia é que 1% do orçamento dedicado à segurança e ao combate à violência de cada País seja destinado a ações de educação pela Paz. No ano seguinte, os resultados serão avaliados e se houver melhora, o compromisso é investir 1% a mais. Assim, ao longo dos anos, a intenção é inverter a lógica e investir mais em educação para a paz que em combate à violência”, resume a presidente do X Fórum Mundial da Paz.

As inscrições devem ser feitas pelo site forummundialdapaz.org e incluem a participação em todas as atividades, além de oito refeições, ao longo dos quatro dias do evento. Interessados em apresentar projetos ou experiências e em aderir ao Fórum Mundial da Paz como voluntário também podem entrar em contato pelo telefone +55 (48) 3047-7600 ou pelo email: contato@worldpeaceforum.org.

More Stories

The UN Sustainable Development Goal number 7 aims to provide clean, affordable and reliable energy for all, to further inclusion, opportunity and empowerment. Almost 200...