inspiração

Escritor, professor e conferencista, o paulistano Roberto Otsu estuda e ensina I Ching e Taoísmo há mais de 40 anos. Inspirado por grandes nomes da filosofia como Lin Yutang e por um dos pais da psiquiatria, Carl Jung, Otsu se dedica hoje a conhecer e compartilhar conhecimentos sobre o desenvolvimento interior do ser humano. Autor dos livros “A Sabedoria da Natureza” e “O Caminho Sábio”, ele também traduziu o clássico milenar da literatura chinesa “Tao-Te-Ching” e hoje se dedica ao lançamento de seu terceiro livro, que fará reflexões sobre os textos do I Ching. Na seguinte conversa com o Horyou Blog, Roberto Otsu fala sobre sua visão de mundo, filosofia e sobre a sua grande inspiração: a natureza.     

Roberto Otsu é conferencista, professor e escritor
Roberto Otsu é conferencista, professor e escritor

1. Qual é a sua história com a filosofia chinesa?

Todos sabemos que a ideologia predominante desta vida está relacionada ao sucesso, ao ser um “vencedor”. Na prática, isso significa atingir a fama, obtenção de lucros exorbitantes, a riqueza, o poder, estar na lista dos top ten do que quer que seja. E, para isso, as pessoas não medem esforços e recursos. Sacrificam sua própria vida, sua saúde, a vida familiar, emocional, afetiva, social, a vida dos outros, os recursos naturais. Nos piores casos, são capazes de passar por cima da dignidade, dos princípios e dos valores para chegar lá, como infelizmente se vê todos os dias nos noticiários. Minha intenção é apresentar uma visão de mundo e um modo de vida que sirva de contraponto ao que existe. Não com o objetivo de atacar violentamente e destruir o pensamento dominante, mas de levantar questões que permitam às pessoas conhecer e agregar outra forma de pensar, ver, sentir e viver a realidade. Um dos caminhos para isso pode ser encontrado na filosofia clássica oriental, mais especificamente no Taoísmo, que é minha área de estudo e trabalho. A partir de 1997, comecei a receber muitos convites para dar palestras e cursos sobre Taoísmo e I Ching e desde então ministro aulas sobre os dois temas em cursos de pós-graduação e em diversos espaços culturais, grupos de estudos e outras instituições. Em 2006, publiquei o livro “A Sabedoria da Natureza”, e em 2008, publiquei “O Caminho Sábio”, uma tradução do “Tao-Te-Ching”, de Lao-Tsé, um clássico milenar da literatura e da sabedoria chinesa.

2. Quais são os seus projetos para 2016?

Este ano, tenho evitado me comprometer com projetos e atividades para poder me concentrar na redação do meu terceiro livro. São reflexões sobre os textos do I Ching para que as pessoas possam encontrar conteúdos e inspirações para intuir com mais profundidade o que este antiquíssimo livro de sabedoria e de orientação pessoal quer nos transmitir. Ele está sendo escrito em linguagem bem acessível e sempre ilustrado com exemplos simples, que correspondem à realidade do homem contemporâneo. É um texto complementar das versões do I Ching de Richard Wilhelm e de Alfred Huang, para que a pessoa possa compreender os aforismos, as metáforas e o simbolismo com mais facilidade.

O Caminho Sábio, um dos livros de Roberto Otsu
O Caminho Sábio, um dos livros de Roberto Otsu

3. A filosofia do Horyou é “Sonh​ar​, inspirar​ e agir”. ​Conte-nos de​ onde sua inspiração veio e o que fez você tomar uma atitude?

A inspiração é a mesma desde sempre. É a mesma de todos os pensadores, sábios, poetas, artistas, filósofos, escritores, e de todas as pessoas comuns, que sejam sensíveis e sensatas: a Natureza. Qualquer pessoa pode ter esta inspiração, desde o índio, o homem do campo, o barqueiro, o surfista, o pescador, a cozinheira, o astrônomo, o veterinário, o arquiteto. É só uma questão de contemplar a Natureza, não importa se a pessoa trabalha com coisas naturais ou burocráticas, na indústria, no comércio ou em serviços. Quando observamos como a Natureza é perfeita, como tudo nela é interconectado e como tudo funciona de modo harmônico, aí, sim, compreendemos o que é sabedoria. Aí, entendemos o que é fluxo, mutação, equilíbrio, ciclo, impermanência, suficiência, unicidade, interdependência, economia de energia, ordem natural, não-interferência, despojamento, integração dos opostos, a importância da flexibilidade, etc. Se estas coisas valem para a Natureza, então também valem para o ser humano, afinal de contas nós fazemos parte da Natureza. O que me faz atuar na minha área é a vontade de promover o equilíbrio e a harmonia interior das pessoas, resgatando-lhes a consciência de seu lugar na Natureza e no Universo. Acredito que somente uma pessoa em harmonia e em equilíbrio consigo mesmo pode promover a verdadeira paz, a justiça, o equilíbrio social, a harmonia diante da diversidade, a tolerância, a inclusão, a sustentabilidade.

4. Horyou apoia​ as pessoas agindo em seus sonhos, qual é o seu objetivo final? 

Permita-me “viajar” um pouco. Foi dito acima que “Sonhar, inspirar e agir” é um dos conceitos sobre o qual Horyou atua. É interessante notar que “sonhar” tem o mesmo sentido da palavra “aspirar”. Sonhar algo ou aspirar algo é a mesma coisa. E, no fundo, fisicamente, “aspirar” é o mesmo movimento de “inspirar”, isto é, de colocar o ar para dentro dos pulmões, para dentro do corpo. O ar é invisível, portanto, inspirar é colocar o invisível para dentro de si. “Spir” em latim significa “vento”, “sopro” e é a raiz da palavra “inspirar” e também da palavra “espírito”. Significa que o espírito é o sopro divino (invisível) que penetra o ser humano, é o que inspira e dá vida à pessoa. Respondendo à pergunta, meu objetivo final é justamente levar inspiração para as pessoas. É levar o conceito de algo maior, transcendente (como a Natureza) para dentro delas. É permitir que as pessoas tenham dentro de si o mesmo espírito de equilíbrio e harmonia da Natureza.

Roberto Otsu
Roberto Otsu

5. Você pode compartilhar uma mensagem com a comunidade Horyou? 

Acredito que enquanto houver pelo menos uma pessoa no mundo que deseja o bem, a humanidade ainda terá esperança. Mesmo que essa pessoa seja você. Mesmo que esta pessoa seja eu. Felizmente existe muito mais pessoas do que você e eu que desejam o bem. Existem dezenas, centenas, milhares, milhões de pessoas em toda a Terra que buscam o melhor para a humanidade, para o planeta. A existência de uma plataforma como a Horyou só faz aumentar a certeza de que esperança de um mundo melhor não é um mero sonho. É um sonho a caminho da transformação. Fazer parte de uma comunidade como esta, é unir forças e pavimentar o caminho para o bem social. Assim, unidos no mesmo objetivo, podemos fazer coro com um outro grande inspirador que cantava: “You may say I’m a dreamer, but I’m not the only one. I hope someday you’ll join us, and the world will be as one”.

Por Claudio Rahal

More Stories

A two-day event will discuss challenges faced by children in urban areas; they will include a Hackathon and roundtables on innovation. The United Nations Children’s...