Le Forum de l’Innovation Sociale et de l’Éthique globale abordera l’énergie du futur, les villes intelligentes et les SDG, et conduira une délégation officielle à l’EXPO 2017 Astana

SIGEF 2017 will take place in Astana, Kazakhstan
La 4ème edition du SIGEF aura lieu à Astana, au Kazakhstan

Horyou, le réseau social por le social good, annonce la 4ème edition du SIGEF, Forum de l’Innovation Sociale et de l’Étique Globale. Cet événement désormais mondialement reconnu, aura lieu le 5 septembre 2017, au Président Astana de Rixos, à Astana, au Kazakhstan. Il sera suivi d’une visite d’une délégation oficielle à EXPO 2017 les 6 et 7 septembre. Animé par une équipe de conférenciers internationaux, de panélistes et de modérateurs, le SIGEF débattra de trois questions cruciales, à savoir les villes intelligentes, les objectifs de développement durable de l’ONU (SDG) et l’énergie du futur. «Avec le SIGEF, Horyou s’est engagé à exhorter les parties prenantes à se rassembler pour interagir et établir des partenariats en vue de construire de meilleures perspectives d’avenir. Le SIGEF réunira des entrepreneurs sociaux, des investisseurs d’impact et des philanthropes, au côté d’officiels et de représentants de la société civile afin de diffuser le message que nous pouvons tous devenir artisans du changement », commente Yonathan Parienti, fondateur et PDG d’Horyou.

L’année dernière, le SIGEF a été le principal événement parallèle officiel de la COP22, à Marrakech, au Maroc. Etalé sur trois jours, le forum a été suivi sur place par un public international de 2500 personnes, offrant un espace d’exposition à des ONG du monde entier, produisant des performance artistiques, organisant un dîner de la Fondation Horyou et présentant un prix pour les meilleurs projets d’impact social. C’était le premier SIGEF organisé hors d’Europe et en Afrique.

Cette année, Horyou affermit sa présence et sa notoriété mondiales en organisant le premier SIGEF en Asie centrale, avec un agenda profondément ancré dans l’avenir de nos sociétés interconnectées. À l’ouverture et à la clôture de la journée, les participants au SIGEF auront l’occasion, lors d’une séance de réseautage spécialement organisée, de rencontrer quelques représentants majeurs de l’entrepreneuriat social, au côté de chefs d’entreprises, de bailleurs de fonds et d’officiels.

Les 6 et 7 septembre, Horyou et l’équipe du SIGEF accompagneront une délégation officielle pour visiter les pavillons de l’EXPO 2017 Astana, le plus grand rassemblement sur l’énergie du futur de cette année. «Nous sommes ravis de faire en sorte que nos délégations internationales au SIGEF se connectent avec des participants de tous les continents présents à l’EXPO 2017 Astana pour établir des ponts de collaboration et favoriser des solutions durables qui profiteront à nos sociétés», explique encore M. Parienti.

Information sur www.sigef2017.com

A propos de Horyou

Horyou est le réseau social pour le social good. A travers une sensibilisation à la technologie, à l’innovation et à l’entrepreneuriat social, Horyou favorise des interactions impactantes et globales entre ses organisations adhérentes, ses membres et des personnalités membres. Sur sa plate-forme, ainsi qu’avec son application mobile et Spotlight, la première monnaie sociale mondiale d’impact, Horyou contribue à transformer les idées positives en actions concrètes, tout en stimulant des connexions constructives en ligne et hors ligne.

L’application mobile Horyou est disponible pour téléchargement gratuit sous iOS et Android.

Pour plus d’information, visitez www.horyou.com

The Swiss Pavillion Expo 2017 Astana is committed to the SDGs. From 13 to 27 July, it develops several activities in order to raise awareness about the challenges of building a better future for the next generations.

Horyou CEO and founder, Yonathan Parienti, with Swiss Pavilion visitors (Photo Swiss pavilion)
Horyou CEO and founder, Yonathan Parienti, with Swiss Pavilion visitors (Photo Swiss pavilion)

The Swiss pavilion, organized by Presence Switzerland, showcases the Confederation as an innovative country with an interactive and surprising exhibition on the issues of energy efficiency, renewable energies and global water management. As part of the Swiss Pavillion, the Swissnex Lab is dedicated to thematic immersion and networking, in order to facilitate bilateral cooperation and academic exchange between Switzerland and Kazakhstan.

One of the activities, Perception Change Project, includes a temporary installation with a wheel of fortune that introduces sustainable development, a Human Library involving innovators and presenting a talk on Education and Innovation with experts and changemakers.

Horyou Team attended an event on Education & Innovation on July 18, 2017, and had the opportunity to hear unique stories from speakers invited by the Perception Change Project in cooperation with partner organizations, notably the International Organization for Standardization (ISO) and the Kazakhstan Institute of Standardization and Certification, the UNICEF Kazakhstan and its Liaison Office in Geneva, the University of Geneva, the Sustainable Development Solutions Network (SDSN), and the United Nations Office for Project Services (UNOPS). «Horyou Team was excited to see the commitment of the Swiss Pavilion to promoting the sustainable development goals in Astana. We share the same resolve to shape better times to come, and SIGEF 2017 in Kazakhstan will be our initiative during EXPO2017 to support that momentum of awareness and implementation», said Yonathan Parienti, founder and CEO of Horyou.

Horyou team visits the Swiss Pavillion at EXPO2017 in Kazakhstan
Horyou team visits the Swiss Pavillion at EXPO2017 in Kazakhstan

The event was followed by a project called “Human Books”, whereby people shared their stories with the public, creating empathy by touching on topics such as climate change and education in emergency situations and refugee camps. One of the touching stories was Isaac Mustopulo’s, a 15-year old student from Kazakhstan who was diagnosed with cerebral palsy and, despite all odds, has finished 8th grade at a local school in Taraz where he excels academically and is actively involved in extracurricular activities. He is an advocate for inclusion and is working on a project that would introduce tutors to public schools for students with disabilities.

“Sustainable Development Goals are not only the UN’s or governments’ business, we all have a role to play in achieving them. The topics related to the SDGs and the work of organisations in Geneva and elsewhere can be illustrated in a playful manner and through storytelling. We are delighted to be a part of Expo 2017 Astana”, said the Head of Project, Aziyadé Poltier-Mutal.

More than 700 people visited the Swiss Pavilion on its first day
More than 700 people visited the Swiss Pavilion on its first day

Finally, the Education & Innovation Talk session opened a dialogue between several thought leaders. Ms Tatiana Aderikhina from the Education and Child Protection at UNICEF shared how an equity–focused and inclusive approach starting from early childhood education can have positive impact toward social inclusion and reduce the numbers of unschooled children. Mr Zhasulan Kenzhegalyiev, a specialist from the International Cooperation Department of the Unified Government Fund of Normative outlined how Astana is leading the way in SmartCities and how this can benefit both the population and the overall sustainability efficiency. Prof Barbara Moser-Mercer, from the University of Geneva, a specialist in higher education in emergency and crises situations, expressed how connected learning builds the knowledge and skills needed to adapt, and how that could prove to be a key factor in the development of higher education for people victims of conflict situations within refugees camps. Ms Ekaterina Perfilyeva, editor in chief of the Open School of Sustainable Development, shared how through volunteering to support facilitation of translation and sharing of knowledge and meaningful information we could advocate a better understanding and implementation of sustainability principles with the Youth.

The overall discussion from the panelists with the audience, outlined the fact that there are numerous synergies and initiatives that could support the achievement of SDG 4, related to Education.

Horyou is the Social Network for Social Good, which connects, supports and promotes social initiatives, entrepreneurs, and citizens who help the implementation of the Sustainable Development Goals to build a more harmonious and inclusive world. We invite you to Be the Change, Be Horyou!

Fundada em 1985, a Casa Pequeno Davi é uma organização incansável no compromisso com crianças e adolescentes em vulnerabilidade social e em situação de rua. Desde os anos 1990, o trabalho social realizado na capital da Paraíba, João Pessoa, vem se ampliando para atender ao entorno familiar de crianças e adolescentes, atuando também em escolas do bairro do Roger, onde funcionava o lixão metropolitano, e também no estado do Ceará. Hoje, a Casa Pequeno Davi é uma organização que atua nos espaços de formulação de políticas públicas (conselhos, fóruns e redes), conquistando parcerias ao longo do tempo e conquistando a credibilidade da comunidade e da sociedade em geral. Leia mais sobre esse membro ativo da nossa plataforma Horyou!

A Casa Pequeno Davi promove atividades de apoio a crianças e adolescentes na Paraíba e no Ceará
A Casa Pequeno Davi promove atividades de apoio a crianças e adolescentes na Paraíba e no Ceará

Quais são as principais inspirações para o trabalho da Casa Pequeno Davi?

A defesa dos direitos, o respeito à pessoa humana, a ética, a responsabilidade, a transparência, participação, a igualdade e a democracia plena.

Que tipo de impacto a organização deseja causar no mundo?

Uma sociedade justa e responsável, onde os direitos humanos, sobretudo de crianças e adolescentes, sejam respeitados e efetivados.

De que forma as redes sociais e a tecnologia influenciam no dia a dia da organização?

Maior visibilidade da organização por parte da sociedade em geral, possibilitando novas parcerias. Ainda com a possibilidade de inserção do público (crianças, adolescentes e familiares) na chamada inclusão digital por meio dos cursos, oficinas oferecidos pela instituição por meio das parcerias.

Quais foram as principais evoluções da atuação da organização em relação à comunicação e as novas tecnologias?

Visando ampliar sua visibilidade, a organização investiu na comunicação, utilizando todos os meios de comunicação possíveis (site, blog, redes sociais, campanhas e materiais impressos). Hoje, a Casa Pequeno Davi é uma organização de referência na área defesa dos direitos humanos, em especial de crianças e adolescentes no Estado da Paraíba.

A organização faz parcerias para promover atividades variadas com as crianças
A organização faz parcerias para promover atividades variadas com as crianças

Qual a importância de participar de uma rede social do bem social como a Horyou?

No mundo globalizado, a participação em uma rede social com a amplitude da Horyou, é de fundamental importância para ampliar a escala da visibilidade institucional. A conexão com outras organizações, o compartilhamento dos objetivos e das ações fortalece a metodologia do trabalho para o alcance da missão.

Vivemos em uma era de constante transformação. Quais são as mudanças positivas que você deseja para a sua comunidade e para as gerações futuras?

Acreditamos que, em primeiro lugar, precisamos de uma consciência ambiental globalizada porque as gerações futuras dependem do nosso comportamento atual. Não é mais possível conviver com o desrespeito em todos os níveis, seja entre as pessoas, seja com o ambiente em que vivemos.

Estamos contribuindo para a formação cidadã de crianças e adolescentes que são prioridade absoluta, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente. Esse público precisa ter seus direitos efetivados na prática para que possam ter melhoria na qualidade de vida e um amanhã diferente.

A Horyou é a rede social do bem social. Conectamos e apoiamos iniciativas sociais, empreendedores e cidadãos que promovem a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, para que possamos construir um mundo mais harmonioso e inclusivo. Seja a mudança, seja Horyou!

The Social Innovation and Global Ethics Forum organized by Horyou will discuss Future Energy, Smart Cities, SDGs, and lead official delegation to EXPO 2017 Astana

SIGEF 2017 will take place in Astana, Kazakhstan
SIGEF 2017 will take place in Astana, Kazakhstan

Horyou, the Social Network for Social Good, announces the 4th edition of SIGEF, the Social Innovation and Global Ethics Forum. The world-class event will take place on the 5th of September 2017, at Rixos President Astana Hotel in Astana, Kazakhstan. It will be followed by an official delegation’s visit to EXPO 2017 on the 6th and 7th of September.

With a team of top-class international speakers, panellists and moderators, SIGEF will cover three of the most critical issues of our time – Smart Cities, the UN Sustainable Development Goals (SDGs) and Future Energy. «With SIGEF, Horyou is committed to encourage multi-stakeholders to gather, interact, and establish partnerships to shape better times to come. SIGEF will bring together social entrepreneurs, impact investors, philanthropists, government officials and representatives from civil society, to spread the message that we can all be changemakers», says Yonathan Parienti, founder and CEO of Horyou.

Opening ceremony of SIGEF 2016 with Yonathan Parienti, Founder of Horyou, H.E Rosalie Matondo, Minister of Environment Republic of Congo, Dr. Ali Bin Samikh Al Marri, Chairman of the National Human Rights Committee (NHRC) in Qatar, HRH Prince Nawaf bin Saad al Saud, Chairman of the Al-Hilal Saudi football club and Yasuhiro Yamamoto, President of Eneco Holdings.
Opening ceremony of SIGEF 2016 with Yonathan Parienti, Founder of Horyou, H.E Rosalie Matondo, Minister of Environment Republic of Congo, Dr. Ali Bin Samikh Al Marri, Chairman of the National Human Rights Committee (NHRC) in Qatar, HRH Prince Nawaf bin Saad al Saud, Chairman of the Al-Hilal Saudi football club and Yasuhiro Yamamoto, President of Eneco Holdings.

Last year, SIGEF was the leading side event at the UN COP22, in Marrakesh, Morocco. The 3-day conference was attended by a 2500-wide international audience, while offering a space for non-profit organizations from all around the world, staging artistic acts, organizing an Horyou Foundation dinner, and presenting an award for social impact projects. It was the first SIGEF to be held out of Europe and in Africa.

This year, reinforcing its global presence and impact, Horyou is organizing the first SIGEF in Central Asia, with an agenda of discussions deeply anchored in the future of our interconnected societies. At the opening and end of the one-day SIGEF conference, the participants will have the opportunity to meet and greet some of the most important players in social entrepreneurship, as well as business leaders, funders and government officials, during a special networking session.

On the 6th and 7th of September, Horyou and the SIGEF team will lead an official visit to the country pavilions of EXPO 2017 Astana, the biggest future energy gathering this year. «We are thrilled to bring our SIGEF international delegations to connect with participants from all continents who are attending EXPO 2017 Astana, to build bridges of collaboration and foster sustainable solutions that will benefit our societies», says Parienti.

More information on www.sigef2017.com The agenda can be consulted here. Click to apply for speaking and to buy your ticket for SIGEF 2017.

About Horyou

Horyou is the social network for social good. Through technology, innovation and social entrepreneurship advocacy, it promotes meaningful and global interactions amongst its adherent organizations, members and personalities. With its platform, App and Spotlight, the first Global Social Currency for Impact, Horyou helps transform positive ideas into concrete actions while building constructive relationships both online and offline.

The Horyou App is available for free download via iOS and Android.

For more information visit www.horyou.com

Desde que iniciou suas atividades atendendo pessoas em situação de rua e com dependência de álcool e drogas na Cracolândia, em São Paulo, a SER Sustentável continua perseguindo a sua missão – a de usar a sustentabilidade para promover a integração de cidadãos em vulnerabilidade social. Com cinco anos de história, a organização é um membro ativo da plataforma Horyou! Nessa entrevista, a presidente Silvana Grandi conta sobre as principais atividades da SER Sustentável e a sua visão de futuro.

A SER Sustentável participou do SIGEF 2014
A SER Sustentável participou do SIGEF 2014

Qual a história da SER Sustentável?

A SER Sustentável iniciou suas ações atendendo pessoas em situação de rua e dependentes de álcool e outras drogas na cracolândia de São Paulo, há 05 anos. Prestamos até hoje serviços de conscientização ambiental, capacitação técnica e fiscalização de Comunidades Terapêuticas, locais de acolhimento em que são internadas as pessoas com dependência química.

Atualmente, trabalhamos em parceria com uma ONG na periferia da zona sul de São Paulo com um projeto de capacitação e construção de moradias sustentáveis de baixo custo para a Comunidade da Matinha, que se encontra em situação de extremo risco social.

Qual é o escopo de trabalho da organização?

O trabalho da SER Sustentável consiste em conscientizar, fiscalizar, humanizar e promover ações multidisciplinares em comunidades periféricas de São Paulo e realizar trabalhos de prevenção para pessoas com a dependência do álcool e outras drogas. Atualmente faltam espaços que promovam a efetiva reinserção social destas pessoas principalmente as que vivem em situação de extremo risco dentro das comunidades vulneráveis. Queremos também reinseri-los na sociedade com geração de trabalho e renda, utilizando oficinas e projetos sustentáveis de capacitação, geração de trabalho e renda.

A SER Sustentável por meio de sua equipe, presta assessoria profissional baseada em ampla capacitação e preparo de Organizações Sociais, Assim, elas podem adotar procedimentos de atendimento para pessoas em vulnerabilidade social e uma acolhida humanizada, minimizando possíveis sequelas que sua extrema vulnerabilidade proporciona.

Entendemos que a Gestão Sustentável inicia-se a partir da valorização do ser humano e em todos os seus ambientes onde está inserido. Diante desse cenário, a SER Sustentável tem como objetivo criar, promover e atuar como parceira junto às comunidades vulneráveis, ONGs, associações de bairro e de classe e de pessoas em extremo risco social no sentido de orientar, propor ações de contenção e de readequação para essas situações já recorrentes por meio de projetos, assessoria e orientações direcionadas.

Equipe SER Sustentável
Equipe SER Sustentável

Que tipo de impacto a organização deseja causar para o mundo?

Ser referência global em projetos socioambientais para inspirar e multiplicar projetos e ações de cidadania e meio ambiente em comunidades que vivem abaixo da linha da pobreza e em situação de extremo risx«co social.

De que forma as redes sociais e a tecnologia influenciam no dia a dia da organização?

As redes sociais e a tecnologias são ferramentas cruciais que complementam os projetos e ações da SER Sustentável. Um exemplo foi a Horyou, esta importante plataforma que através de nossas redes sociais conheceu nossos projetos e até hoje são parceiros na divulgação de nossas ações.

Qual a importância de participar de uma rede social do bem social como a Horyou?

A Horyou, além de ser uma plataforma rica em informações e em organizações sérias, também influencia o mundo a buscar continuamente novos olhares, projetos inovadores e contatos com pessoas experientes, fazendo com que cada membro agregue valor em seu projeto. Nos deu a oportunidade de conhecer novas culturas e nos impulsiona o tempo todo a não desistir. São importantes motivadores e mobilizadores de ações socioambientais.

Vivemos em uma era de constante transformação. Quais são as mudanças positivas que você deseja para a sua comunidade e para as gerações futuras?

Desejamos impactar e transformar a vida de cidadãos que vivem abaixo da linha da pobreza unindo todos os atores sociais em prol de uma sociedade mais justa. Através dos projetos e ações realizados, queremos deixar um legado para que as próximas gerações continuem nosso trabalho e também usufruam de um mundo menos desigual e com mais respeito, amor e cuidado ao meio ambiente do qual fazemos parte.

Contar histórias emocionantes para promover mudanças positivas na sociedade. Esse é o propósito do publicitário Marco Iarussi, que promove campanhas digitais na internet com o objetivo de arrecadar fundos para projetos de cunho social e humanitário. Fundador do projeto “Curta a Ideia – Vídeos que Mobilizam”, Marco é um membro ativo da nossa plataforma e um dos concorrentes ao SIGEF Project Awards. Ele falou com o nosso blog sobre suas conquistas, planos para o futuro e sobre a proposta de fazer “marketing pelo bem”.

Curta a Ideia apresentando o seu projeto no SIGEF
Curta a Ideia apresentando o seu projeto no SIGEF

1. Qual é a história do Curta a Ideia?

Sou publicitário e conheci a jornalista Tati Vadiletti quando trabalhávamos em um programa de televisão, na cidade de São Paulo. Apesar de sermos apaixonados pela comunicação e o audiovisual, sentíamos que aquele trabalho não despertava uma transformação na vida das pessoas. Nós acreditamos que a comunicação é uma ferramenta poderosa para transformar realidades, por isso fomos em busca do nosso sonho: contar histórias através de vídeos que mobilizam.

Foi por isso que em 2011 surgiu o ‘Curta a Ideia’ com a proposta de ser um canal de vídeos na internet que promove iniciativas e profissionais que oferecem o seu talento para transformar realidades. Nossa intenção sempre foi registrar histórias de pessoas que conectadas com seu coração, que serviam ao próximo ou defendiam uma causa. Por conta disso, o trabalho teve uma grande aceitação com organizações do terceiro setor; foi então que encontramos o nosso propósito: colocar nossa expertise com comunicação e audiovisual a serviço de grande causas, impulsionando iniciativas na internet com um video envolvente, que convida a uma transformação. É isso que sempre fizemos: vídeos que mobilizam! Nosso slogan é o que melhor nos define: “luz, câmera e coração”!

2. Um trabalho paralelo que você desenvolve são as campanhas de marketing digital para pessoas carentes. O que motivou a criação desse projeto?

Nosso propósito sempre foi usar a comunicação para promover o bem e nós acreditamos no poder da internet para gerar bondade. Embora o propósito das redes sociais seja conectar pessoas, o ambiente tecnológico muitas vezes distancia o homem das relações humanas. Nossa intenção com as campanhas sociais é criar a oportunidade para quebrar esse gelo, gerar conexões, oferecer ao usuário das redes a chance de praticar a empatia e, quem sabe, transformar uma vida.

3. Uma das campanhas mais bem-sucedidas que você desenvolveu foi para uma paciente que necessitava de células-tronco. Como você conheceu a história da Gigi e o que te mobilizou a trabalhar nessa campanha voluntariamente?

A campanha da Gigi foi extraordinária. Um caso que veio para comprovar a nossa missão de vida. Conhecemos a Gigi no Centro Espiritual do João De Deus, um médium brasileiro conhecido internacionalmente. Ela estava lá em busca da cura e o caso dela nos chamou muita atenção, por isso sabíamos que as pessoas na internet poderiam se engajar naquela causa. O curioso é que ela estava há muito tempo pedindo ajuda de porta em porta e sua presença na internet era quase inexistente, por isso havia muita dificuldade na arrecadação e o valor de 30 mil dólares era um objetivo quase impossível, mas por obra do acaso, ela encontrou justamente um casal que trabalha com marketing digital para causas sociais. Foi então que começou uma linda história de amor, boas ações e generosidade. Em poucos dias a campanha rodou o mundo e a Gigi recebeu doações do Japão, Finlândia, Austrália, Suiça, entre outros países. Em vinte dias, a campanha teve que ser finalizada, pois já tinha atingido múltiplas vezes o valor necessário, o que possibilitou o pagamento do mesmo tratamento para outras duas pessoas. Essa ação se tornou a maior campanha solidária do Brasil em 2016. Foi muito emocionante receber mensagens de pessoas nos agradecendo por ter dado a elas oportunidade de ajudar o próximo.

Marco Iarussi em uma das gravações para o Curta a Ideia
Marco Iarussi em uma das gravações para o Curta a Ideia

4. Conte quais foram os principais destaques do ano de 2016 e seus planos para 2017.

Além da campanha da Gigi, promovemos também outras três ações, sendo que a do Lucas José pode ser considerada a segunda maior campanha solidária do ano. Atualmente estamos com a campanha ‘Ame a Fernanda’, uma brasileira de 34 anos que foi aceita em pesquisas para a cura da AME – Atrofia Muscular Espinhal nos Estados Unidos. Ela tem grandes chances de sair da cadeira de rodas e voltar a andar, embora o tratamento seja gratuito ela precisa de fundos para custear sua permanência por um ano e meio no país. Estamos empenhados em conseguir mobilizar pessoas que apoiem essa causa, mas é uma corrida contra o tempo, pois ela tem somente até o mês de janeiro para entrar no programa de pesquisas. Para 2017 queremos ampliar a nossa atuação com o marketing pelo bem. Sabemos que muitas pessoas precisam de uma chance para transformar sua vida e que, por outro lado, muitas outras podem praticar a generosidade e olhar para o próximo.

5. Quais são os seus principais desafios e o que te motiva a superá-los?

Nosso maior desafio é nos tornarmos um canal de confiança, onde as pessoas possam realizar doações na certeza de que farão para uma iniciativa transparente, ética e comprometida. Infelizmente, existe uma certa desconfiança com projetos sociais na internet, mas nosso compromisso é com a prestação de contas e transparência das ações, pois devemos estimular a cultura da bondade e da colaboração no ambiente online. Quando as pessoas descobrirem o poder das redes sociais para promover boas ações, elas conseguirão mudar o mundo.

6. Você é um membro ativo de nossa comunidade e, este ano, participou com o seu projeto no SIGEF. Como avalia essa experiência?

Apresentar o nosso projeto no SIGEF2016 foi uma oportunidade de compartilhar com iniciativas globais o nosso propósito de promover o bem na internet. No evento, pessoas do mundo inteiro puderam trocar experiências, aumentar o seu repertório e certamente voltaram com muito mais vontade de fazer acontecer suas melhores intenções. Foi assim com a gente!

7. Qual mensagem você deixaria para a nossa comunidade Horyou?

Dizem que os bons são a maioria e que os querem mudar os mundo são muitos, mas eles estão espalhados por aí… Eu digo que a Horyou é o canal onde essas pessoas se encontram. Sempre que estou na plataforma, me encho de esperança vendo tantas iniciativas incríveis. O que tenho a dizer aos membros da comunidade é que o amor nos conecta e que eu acredito que conseguiremos mudar esse planeta, através deste amor.

Entrevista: Vívian Soares

More Stories

A two-day event will discuss challenges faced by children in urban areas; they will include a Hackathon and roundtables on innovation. The United Nations Children’s...